História da Astronomia

Desde a pré-história a humanidade se interessou em observar os corpos celestes, vestígios arqueológicos mostram que os astros influenciavam no imaginário dos homens.

A partir do neolítico houve a necessidade de se conhecer bem as estações do ano para a regulagem dos cultivos, razão pela qual milênios de contínua observação do firmamento levaram o homem do neolítico a descobrir os ciclos dos movimentos dos astros, reconhecidos por meio de agrupamentos chamados constelações.

A arqueologia nos mostra que os povos mais antigos que detinham o saber astronômico se concentravam nas mesopotamicas, as do leito do Nilo egípcio; a da porção oriental da costa mediterrânea; e as civilizações indiana, persa e chinesa. Não devemos esquecer também que alguns povos americanos, principalmente os maias e os astecas, elaboraram calendários solares com técnicas de medição bastante precisas.

Na região sul do México, a Guatemala e Belize, habitava o povo maia que tinham uma adoração pelos astros, e em sua religião adoravam o Sol e a Lua como deuses importantes. Para cultuá-los os maias construíram várias pirâmides que eram ao mesmo tempo observatórios astronômicos e templos religiosos. Temos o exemplo da pirâmide de Kukulcán que em sua formação possui quatro escadas externas tendo cada uma 365 degraus e um último degrau menor que equivale a ¼ dos outros degraus, onde demonstra que eles tinham conhecimentos bem exatos dos movimentos do Sol e da Lua no céu.

Cada escada tem no fim um ¼ de degrau que se somado com as das outras escadas forma um degrau completo que mostra que os maias conheciam o ano bissexto que ocorre a cada quatro anos. Existem também provas de que os maias conseguiam prever as fases da Lua, os inícios das estações do ano e eclipses.

Biografia de Nicolau Copérnico

Com os gregos houve o desenvolvimento dos estudos de astronomia, buscando representar o Universo e seus astros em movimento. Durante muitos séculos, as pessoas imaginavam que a Terra era o centro do Universo, tendo o Sol e os demais astros em sua órbita, esse modelo foi apresentado no século II por Cláudio Ptolomeu, sendo titulado o modelo geocêntrico. Somente no século XVI, que foi proposto um modelo onde o Sol está no centro e os demais astros em sua órbita, esse modelo foi proposto pelo padre polonês Nicolau Copérnico que o titulou de heliocentrismo.

Biografia de Nicolau Copérnico

No início do século XVII, o astrônomo e físico italiano Galileu Galilei (1564 –1643) foi o primeiro a observar o céu com o auxílio de um telescópio. Entre as suas descobertas estão as fases de Vênus e os satélites de Júpiter. Essas observações ajudaram a confirmar o modelo heliocêntrico.

 

Biografia de Galileu Galilei

Galileu foi considerado o primeiro dos cientistas modernos, ele nasceu em Pisa, na Itália, em 1564. Galileu fez diversas descobertas nas áreas da Astronomia, da Matemática e da Física. Galileu abandonou o curso de Medicina para estudar Matemática.

Através do estudo da queda dos corpos, estabeleceu que os objetos abandonados ao mesmo tempo de uma certa altura levariam o mesmo tempo para chegar ao chão, independentemente de sua massa, ou seja os corpos cairiam com a mesma velocidade.

Em 1592, Galileu tornou-se professor da Universidade de Pádua, onde se dedicou à Astronomia; para isso, utilizou um telescópio que ele mesmo inventou. Galileu defendeu a teoria heliocêntrica de Copérnico. A igreja não via com bons olhos essa teoria, a igreja defendia a teoria de Ptolomeu, que considerava a Terra como o centro do universo.

Na área da Astronomia, o cientista descobriu os quatro satélites de Júpiter, além das montanhas e crateras da Lua e das inúmeras estrelas que constituem a Via Láctea. Após a publicação da obra de Kepler, em 1609, baseada na teoria de Copérnico, Galileu apressou-se em sistematizar suas idéias. Em 1616, a igreja alertou-lhe de que sua teoria contrariava a dela. Mas ele ignorou o aviso da igreja e publicou O Grande Sistema do Universo, sendo intimado pela inquisição em 1632. Após longo julgamento, Galileu Galilei foi declarado culpado e sentenciado à prisão. Com a intervenção de seus amigos e influentes, a pena foi diminuída e ele foi confinado num palácio de Florença.

 

Galileu continuou com novas descobertas, embora sua visão e audição tivessem sido gravemente afetadas. Faleceu em Florença em 1642. Entre suas obras encontram-se: Centro de Gravidade e suas Propriedades; Dissertação sobre os Astros; Manchas do Sol; Discursos e Demonstrações Matemáticas em Torno de duas Novas Ciências Relativas à Mecânica e aos Movimentos Locais.

Em 1980 o papa João Paulo II, ordenou um re-exame no processo contra Galileu, chegando a conclusão de que ele era inocente.

 

Com o avanço tecnológico e a aquisição de aparelhos cada vez mais sofisticados a Astronomia consegue observar partes cada vez mais distantes do Universo, assim podendo responder questionamentos que os homens fizeram e ainda fazem nos dias atuais.

Curiosidade

O que a Astronomia estuda?

Essa ciência nos define o que é o Universo, também titulado Cosmo ou Espaço Sideral que é formado por um conjunto de astros chamado corpos celestes. A Astronomia estuda o Universo e os objetos que os constituem tendo como apoio outras ciências como a Matemática, Física, Química e a da computação.

Para a realização de estudos utilizamos telescópios e outros instrumentos capazes de mostrar imagens de objetos que parecem pequenos ou nem podemos enxergar a olho nu, devido a distância que eles se encontram de nós.

Os antigos ao observarem o céu a noite, perceberam que além das estrelas existia outros tipos de corpos. Dentre os inúmeros pontinhos brilhantes que observamos há aqueles que não são estrelas, pois diferente das estrelas que possuem posições relativas imutáveis e geram sua própria luz, esses outros poucos pontos parecem passear por entre elas e não possuem luz própria. Os gregos chamaram esses pontos de planetas, que em grego significa estrela errante. Os planetas que podem ser observados a olho nu são: Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno, que não possuem luz própria refletindo a luz solar.

Alguns planetas possuem também corpos celestes girando ao seu redor, são chamados satélites naturais. Nos planetas Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão já foram descobertos satélites naturais, sendo o satélite natural da Terra, a Lua.

A órbita é em outras palavras “girar em torno” ou “ficar dando voltas”, é o percurso que os planetas realizam ao redor do Sol ou o que os satélites fazem em torno dos planetas, no entanto os corpos celestes se movimentam em órbitas e se atraem, eles gravitam.

No entanto, se os planetas gravitam em torno do Sol e os satélites naturais em torno dos planetas, logo o Sol, os planetas, os satélites e outros corpos celestes formam o Sistema Solar.

Porém, a nossa estrela o Sol, não é a única, havendo outras estrelas. Mas se há outras estrelas, podem existir outros planetas ao redor delas, assim como satélites e outros astros. Já foram descobertos milhares de galáxias, além da que abriga a Terra. Portanto a nossa galáxia juntamente com tantas outras galáxias forma o Universo.

Curiosidade

Copyright 2022 - STI - Todos os direitos reservados

Skip to content