GEODEM Introdução à Cartografia

 
 

Cartografia é a ciência e a arte de expressar graficamente o conhecimento humano superfície terrestre, por meio de representações gráficas.

Dentre as principais representações cartográficas destacam-se o globo, os mapas, as cartas topográficas, as cartas temáticas e as plantas (2).

As inovações tecnológicas e científicas têm levado a uma revisão do conceito tradicional de cartografia, que passa a ser vista como a organização, apresentação, comunicação e utilização de geoinformação em forma gráfica, digital ou táctil (Taylor, 1991).

 
 

O QUE SIGNIFICA ENTENDER UM MAPA?

 
 

Entender um mapa não é apenas saber localizar um rio, uma cidade, uma estrada  ou qualquer outro fenômeno em um mapa. É compreender que o mapa é a representação de um espaço real, transmitida em linguagem cartográfica que se utiliza de 3 elementos básicos: sistema de signos, redução e projeção. Entender mapas, portanto, significa dominar essa linguagem cartográfica.

 
 

A cartografia divide-se basicamente em dois ramos principais: o temático e o topográfico.

 
 

O ramo topográfico trata os detalhes planialtimétricos, que incluem aspectos naturais e artificiais de uma área tomada de uma superfície planetária, possibilitando a determinação de altitudes através de curvas de nível, a avaliação precisa de direções e distâncias, e a localização de detalhes, com grau de precisão compatível com a escala.

 
 

O ramo da cartografia temática, trata de temas ligados às diversas áreas do conhecimento. Os produtos gerados, constituem documentos cartográficos em quaisquer escalas, onde sobre um fundo geográfico básico (extraído da cartografia topográfica) são representados os fenômenos geográficos, geológicos, demográficos, econômicos, agrícolas, etc., visando o estudo, a análise e a pesquisa dos temas, no seu aspecto espacial (Oliveira, 1988).

 
 

BREVE HISTÓRICO DA CARTOGRAFIA

 
 

O desenvolvimento da Cartografia, desde épocas remotas até os dias atuais, acompanhou o próprio progresso da civilização.  Ela deve ter surgido, no seu estágio mais elementar, com as populações nômades da antiguidade, sob a forma de mapas itinerários.

 
 

Posteriormente, com o advento do comércio entre os homens e o conseqüente aparecimento dos primeiros exploradores e navegadores, descobrindo novas terras e novas riquezas e ampliando o horizonte geográfico conhecido, o homem sentiu necessidade de se localizar sobre a superfície terrestre. Estabeleceu-se, então, o marco inicial da cartografia como ciência.

 
 

A evolução da cartografia também foi incrementada pelas guerras, pelas descobertas científicas, pelo desenvolvimento das artes e ciências, pelos movimentos históricos que possibilitaram e exigiram, cada vez mais, maior precisão na representação gráfica da superfície terrestre.

 
 

No século XX, a grande revolução na cartografia é determinada, principalmente pelo emprego da aerofotogrametria e pela introdução da eletrônica no instrumental necessário aos levantamentos.

 
 

A cartografia contemporânea procura atender às necessidades de todos os ramos da atividade humana, tendo como objetivo uma produção em massa no menor tempo possível e com precisão cada vez maior. Para isso conta com tecnologias modernas como o sensoriamento remoto, o GPS (Global Positioning System), e os SIGs (Sistemas de Informação Geográfica).

 
 

 Curiosidades: História da Cartografia

O PROBLEMA FUNDAMENTAL DA CARTOGRAFIA

 
 

Para a representação gráfica da superfície terrestre é necessário o conhecimento de sua forma. Durante muito tempo adotou-se a Terra com a forma plana, onde em qualquer momento se chegaria ao fim do oceano, em um grande abismo.

 
 

Era assim como o homem via na sua proximidade, como se estivesse preso em uma ilha.

 
 

Posteriormente com o surgimento das grandes navegações questionou-se a velha maneira de se pensar o planeta como um plano, pois se via que no horizonte os barcos apareciam como se  emergissem do oceano ao se aproximarem da costa.

 
 

Com o interesse do homem pela Terra e com o período das novas descobertas aumentava o desenvolvimento das ciências e o conhecimento do homem sobre a forma do planeta Terra.

 
 

         

 
 
 
 

TIPOS DE LEVANTAMENTOS

 
 

Levantamento: Caracteriza-se pela realização de medidas e observações, coleta de dados e a seleção de documentos existentes, com o objetivo de elaborar uma informação cartográfica.

Exemplos: Levantamento topográfico, hidrográfico, climatológico.

 
 

  Sites para interação (GPS)

 
 

Para estas atividades utiliza-se equipamentos e técnicas da Topografia como  bússolateodolito,  níveltrena. Sendo que esses equipamentos estão sendo gradativamente substituídos e/ou complementados (dependendo do caso) pelo  GPS.

 
 

O GPS é um importante aliado nos serviços que exigem informações de posicionamento confiáveis, dada a rapidez e segurança nos dados que fornece.

 
 

Alguns casos atendidos pelo GPS são impossíveis através da Topografia, como o monitoramento contínuo de veículos (automóveis, aviões ou navios).

 
 

Sensoriamento Remoto:  Processo de medição e obtenção de dados de um objeto ou fenômeno, ou mesmo alguma propriedade deste, através de sensores, que não se encontram em contato físico com o objeto ou fenômeno estudado.

 
 

Aerolevantamento:  Realização das observações, ou coleta de dados com o emprego de equipamentos aerotransportados.

 
 

Sistema sub-orbital (Avião): Fotografias Aéreas

 
 

Sistemas Orbitais (LANDSATSPOT, etc.): Imagens Orbitais

Vídeo

NASA | Landsat – From the Archives

Copyright 2022 - STI - Todos os direitos reservados

Skip to content